AS LÁGRIMAS DE DANTE

Marcas no chão. Caminho sem tréguas.
O cofre sem portas, as mãos estendidas e sós!
Ninguém seguiu o enxame
E agora a febre já desenhou
sobre o mapa enxuto. As lágrimas de Dante
na corrente do soldado, cobardias,
pedaços de engodo, guardado numa foto alheia.
Uma história contada, fora
do ponto de encontro
o arrogante esgar da sobriedade!

1 thought on “AS LÁGRIMAS DE DANTE

  1. Arlindo Maduro says:

    Já plantou uma árvore ? É que se não, já só falta isso. Gostei de o ouvir e gosto de o ler. Abraço.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *