UM SEGUNDO MÁGICO

Se por vezes me parece muito fácil,
demasiado nítido, esconder-me
em rotinas mal desenhadas,
descarto as ébrias ocorrências diárias!

Se apenas representamos a soma
talvez não suportemos; ou eu não suporte
o singelo da ideia e da situação… Num cosmo vago,
demasiado vago para ser minimamente humano.

Se não sou mais do que uma partícula,
ela também é cósmica! Uma reflexão
demasiado óbvia e rebuscada.
Aproximo-me de mim como um abraço.

Fazer tudo. Como se tivesse o direito
de mais tarde o poder escrever.
E perder o segundo mágico
para sorrir no mesmo compasso.

Escrever é um tom de poder.
e não sei se posso poluir assim o tempo.
Rasgaram tudo aquilo que eu escrevi
e ninguém sequer se cansou ao fazê-lo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Instagram