A COMÉDIA QUE PODE EXISTIR NA IDEIA DE FLOR

Assim que passou a ideia
de pensar alto,
um olhar de desdém
deitou-se a correr
por entre papoilas
acorrentadas.

Uma mão elevou-se
fez um pedido,
e na rua da prata já lavaram o corpo,
das meretrizes que enganaram o tempo.
Encadeou-se o sentido
e depois era primavera.

Algures na praça, vagueiam
bandidos, pés descalços
olham sem dó, a porta que bateu
com força desmesurada.
Gotejam ainda os segundos
do êxtase comprado
giram os braços
em torno do caos,
ignoramos o todo .
Desde então sentimos
mas não sabemos porquê!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Instagram