PRELÚDIO DE UM DIA DE PRIMAVERA

Um apenas, quase momento
um segundo
de sensações e mentiras
um eu
que se torna
demasiado rebuscado!

Infâncias reinventadas,
um instante
que se procura saber;
um sem nunca
de desilusão
e pecar por defeito
ao duplicar recordações.

Um imenso vazio
a morder coisa nenhuma!
E a dor que fica
a descobrir
os nossos lábios.

Sorrisos que já tivemos
certos como
a saudade,
caiem lestos
como pingos de água.

Foram eles
também um dia,
que conheceram
como são as alturas…
E a brisa do esquecimento,
é tão fácil
de ser tão nossa!
Mais o azul
do seu momento
onde os olhos procuram
as respostas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Instagram