OLHAR-TE

Sentir um perfume assim;
o rebentar das ondas
do mar dos sonhos.

Olhar,
supor o suposto.
Acreditar
e transpercorrer o teu mundo.
De Norte a Sul, viver-te
senão, fingir a alegoria de te esquecer.

Voltar.
Voltar
e saber o caminho.
Do rebentar das ondas
guardar,
guardar o teu mar.
Se tu percebesses
eu nadava em ti
ou então aprendia
a afogar-me!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Instagram