OBRIGADO PAI

Quando percebi a ideia de mundo
o espaço era quase tão pequeno
como eu todo em bicos de pés.

Quando pela primeira vez, percebi a distância
o tempo fez-se quase, por magia,
um ritual, tão simples, como a infância toda junta.

Quando assentei os pés no chão,
fiquei a saber que nos teus braços
a paisagem foi sempre mais bonita.

Hoje, as estatisticas dizem-me que sou mais alto,
mais novo e mais forte… Poderia eu agarrar-te?
Por vezes os números são uma grande treta!

Sabes pai és maior e mais sábio e não falemos de força.
Levantaste-me mais vezes que eu possa traduzir em equações.
Se calhar nunca fui bom a matemática, mas sei que contigo
sou mais, muito mais do que apenas aquilo que sou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Instagram