CHEQUE EM BRANCO

Expandi as faces
do meu saber,
a mostra das conclusões.
Seriedades assinaladas
em branco,
como um cheque, endossado
sem ouvir a quem.
As borbuletas a marcar ritmos
e o tempo das promessas fracas.
Abri a janela
e fiquei à tua espera,
enamorado de quanto
me recordei de mim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Instagram