REFUGIO

Sons que se fazem, traduzem tão pouco
o longe das sensações
encontrar refugios por imaginar…
Não podes escrever as letras,
talvez as próprias te encontrem,
e ainda assim farás do teu imaginário
as próprias sinfonias, ausentes
de todas as palavras, que na musica
não couberam…
As perguntas, em instantes, revelam hiatos
sobreposições de sons, inércias vocais
que saberás moldar, ao riso
mudo dos teus dedos…
Até que toquem todas as vozes
passará bem mais que uma manhã,
e até lá, escuta apenas
que tanto quer a musica
que tu descubras
ou encontres enganado em ti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Instagram