RECEITA

Insistentemente
reafirmei as minhas próprias
convicções,
como se tivesse necessidade
de provar
da minha forma de ser
e de todos os meus pensamentos!

A mesma certeza
envolta em tantos odores,
experimentados por gestos
sem palavras…
Como aquelas que eu pedi,
emprestadas,
para me sentir mais importante.

Uma mentira
Como se fosse uma hora marcada
e um sentido do dever
cumprido.
Uma receita, para adiar
o calendário
e fazer das minhas mãos
o meu próprio senão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *